Porque o Airbnb vai investir mais em marca e menos em performance

O time daqueles que acreditam que o investimento em branding trás melhores resultados que o investimento em performance acaba de ganhar um aliado de peso: o Airbnb. A empresa anunciou que está mudando seus investimentos de performance para branding depois de reduzir os gastos em mais da metade durante a desaceleração da Covid-19 e ainda gerar 95% do mesmo tráfego online do ano anterior.

 “O que a pandemia mostrou é que podemos levar nosso investimento em marketing a zero e ainda ter 95% do mesmo tráfego do ano anterior. Isso aconteceu porque nossa marca é inerentemente forte. Não vamos esquecer essa lição”- afirmou Brian Chesky, co-fundador CEO do Airbnb durante entrevista para a CNBC.

Segundo o CEO, a força da marca permite ao Airbnb ser menos dependente de performance e lhe permite investir em Relações Públicas e conteúdo como estratégias principais. Na visão da empresa, isso é positivo pois o marketing de performance enfrenta riscos em torno da proteção de dados e à regulamentação em vários países ao redor do mundo. Portanto, é preciso diversificar as estratégias para não depender exclusivamente de performance para gerar tráfego e interesse para a marca.

Pesquisas globais mostram que o Airbnb não está sozinho: 40% das empresas afirmam que vão aumentar o investimento em branding em detrimento de performance em 2021, segundo o Marketer’s Toolkit da WARC. Devemos esperar muitas marcas reposicionando, lançando identidades visuais, revisitando propósito e criando ações de comunicação cada vez mais alinhadas e consistentes. 

Minha aposta é que as marcas que estão aderindo a esta estratégia primeiro, irão criar uma vantagem competitiva cada vez maior em relação às marcas concorrentes. Já, aquelas empresas mais resistentes e apoiadas prioritariamente em performance ficarão cada vez mais dependentes de preço, promoção e mídia no futuro. 

A experiência nos mostra que a dependência de preço e mídia é capaz de posicionar uma marca no território de baixo custo aos olhos do consumidor. E, sabemos que, uma vez dentro deste território, se torna muito difícil sair. A lição que podemos extrair deste movimento do Airbnb é que as empresas interessadas em manter suas margens no futuro devem começar a repensar sua dependência com o marketing de performance e considerar o investimento na marca como uma alternativa mais segura.

Sobre a autora, Daniele Lazzarotto

A Dani é formada em publicidade e pós-graduada em branding. Tem mais de 10 anos de experiência como estrategista, já tendo atendido diversas marcas nacionais como: Walmart, Sicredi, Piccadilly, Fleishmann e Iplace. Seu trabalho é referência no RS já sendo reconhecida com diversos prêmios, inclusive o de melhor profissional de planejamento pela Associação RioGrandense de Propaganda. Foi presidente do Grupo de Planejamento do RS por três anos e ainda participa da diretoria atual. Há cerca de 2 anos tornou-se empreendedora e fundou a Cordão (www.cordao.cc), consultoria que vem desenvolvendo estratégia para marcas como: Agibank, Boticário, FreeSurf, PUCRS, Share, Tramontina entre outros. Além disso, a Dani acredita em compartilhar conhecimento e é professora de diversos cursos livres e programas de pós-graduação.

Foto da Daniele neste link.

Sobre a Cordão

Atua há dois anos no mercado e acredita que a clareza estratégica muda os rumos de qualquer negócio. É uma consultoria focada em auxiliar as empresas a repensarem suas marcas e construir relações positivas com seus públicos. Atualmente, desenvolve projetos para Agibank, Boticário, FreeSurf, Pucrs, Rede Marista, Tramontina, WebContinental, entre outros. 

Mais informações:

Daniele Lazzarotto – (51) 99268-4746
dani@cordao.cc
Instagram: cordao.cc
www.cordao.cc

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×